Acesso ao sítio Câmara Municipal de Loures

História

 

A região de Bucelas, demarcada por lei desde 1911, situa-se a 25 quilómetros a norte de Lisboa, no vale do rio Trancão. As vinhas instalam-se em solos que correspondem às tradicionais caeiras. Com um clima bastante frio no inverno e temperado no verão apresenta, no entanto, grandes oscilações térmicas nessa época. A casta que confere as características organoléticas deste famoso VQPRD branco (Vinho de Qualidade Produzido em Região Determinada) é a Arinto.

Área Geográfica

A área geográfica correspondente à Denominação de Origem Bucelas abrange a freguesia de Bucelas e parte das freguesias de Fanhões (lugares de Fanhões, Ribas de Cima, Ribas de Baixo, Barras e Cocho) e de Santo Antão do Tojal (lugares de Pinteus, Manjoeira e Arneiro).

 

Características organoléticas

Vinhos brancos

Apresentam uma cor citrina, um sabor e aroma frutados e uma acidez característica da casta Arinto. São secos, leves e quando envelhecidos ganham um belo tom amarelo dourado e aromas terciários complexos. Possuem uma graduação alcoólica entre 11 e 11,5%.

 

Vinhos espumantes brancos

Os vinhos espumantes apresentam-se com aroma e sabor bastante frutados, acentuada frescura, e uma bolha fina e persistente que lhes confere uma excelente qualidade.

 

História

A fama do vinho de Bucelas é muito antiga e pensa-se que a cultura da vinha foi introduzida pelos Romanos. Numa crónica sobre a descoberta do caminho marítimo para a Índia, foi dado a conhecer este vinho por marinheiros da nau de São Gabriel que, ao chegarem a Portugal, comemoraram com bons petiscos e vinho branco produzidos a partir de cepas de Arinto de Bucelas.

Também o Marquês de Pombal se terá interessado por este vinho e importado algumas castas do Reno. Outros autores afirmam que as cepas do Reno são portuguesas e que teriam sido transportadas para a Alemanha pelos cruzados Teutónicos, à vinda da Terra Santa. Mas o início da projeção internacional de Bucelas data das invasões francesas, devendo-se ao particular prazer que os militares ingleses sentiam em bebê-lo. Depois, ao voltarem para Inglaterra, difundiram-no no seu meio originando uma forte corrente de exportação.

Conta-se que, tendo o rei Jorge III, ainda príncipe regente, certa enfermidade, não encontrou melhor remédio que o vinho de Bucelas, oferecido por Wellington, no regresso das campanhas de Portugal. Após a guerra peninsular, tornou-se habitual na corte e entre os súbditos ingleses.

No tempo de Shakespeare era conhecido pelo nome de Charneco, e mais tarde foi também conhecido pelo nome de Lisbon Hock (vinho branco de Lisboa).

Logótipo de Bucelas Capital do Arinto

Capital do Arinto

Bucelas foi registada como Capital do Arinto. A Confraria do Arinto de Bucelas foi a entidade que procedeu à inscrição do registo de Bucelas como Capital do Arinto, a 25 de maio de 2010, junto do Instituto Nacional de Propriedade Industrial, tendo o instituto publicado o despacho de concessão no dia 19 de Agosto do mesmo ano.

Este era um dos desejos da Câmara Municipal de Loures, Junta de Freguesia de Bucelas e da Confraria do Arinto, tendo em vista as características rurais da região, que tem na atividade vinícola fortes tradições, pelos excelentes vinhos brancos que produz.

A Confraria do Arinto de Bucelas foi constituída em ato público no dia 25 de Julho de 2008. Com o nascimento legal e o cumprimento dos seus estatutos, esta instituição tem como objetivo proteger e promover as tradições e o património da região demarcada, contribuindo para o desenvolvimento da atividade económica, cultural e turística da região de Bucelas.

Produtores

 

Quinta da Murta

A Quinta da Murta tem 27 hectares, 14 dos quais plantados com vinha das castas arinto (86%) e touriga nacional (14%). Atualmente são produzidos espumante, vinho branco fermentado em inox e em barrica e vinho tinto. A quinta dispõe de adega própria e, além da produção de vinhos, complementa a sua atividade com a realização de visitas, provas e eventos.

Foto Quinta da Murta

Encosta da Murta – Sociedade Enoturística S.A.

Quinta da Murta

2671-601 Bucelas

Tel.: 210 115 190

Fax: 210 155 193

Correio eletrónico: qmurtageral@hotmail.com

Acesso sítio da Quinta da Murta

Sociedade Agrícola Quinta da Romeira de Cima S.A.

Esta propriedade pertenceu aos condes de Castelo Melhor, tendo o seu mais ilustre representante, o terceiro conde, instituído o Morgado de Santa Catarina, no qual foi incluída a Quinta de Romeira. Aqui encontramos uma casa senhorial, da qual se destacam duas janelas manuelinas e uma capela datada de 1914, projetada pelo arquiteto Raul Lino.

A propriedade possui 80 hectares de vinha. Produz dois vinhos de grande qualidade, utilizando 100% da casta arinto, o Prova Régia e o Morgado de Santa Catarina.

Sociedade Agrícola Quinta da Romeira, S.A.

Quinta da Romeira

2670-678 Bucelas

Tel.: 219 687 380

Fax: 219 627 089

Correio eletrónico: geral@companhiadasquintas.pt

Acesso ao sítio da Quinta da Romeira

Caves Velhas

As Caves Velhas são um dos maiores e mais antigos produtores e engarrafadores de vinho da Região Demarcada de Bucelas. Ao longo de 123 anos tem sido galardoada com diplomas, medalhas de ouro e prata, que distinguem a excelência e a qualidade de várias gerações de produtos. No edifício Caves Velhas, situado no centro da vila, encontrará uma típica adega, uma sala de provas e uma Enoteca.

 

Foto Caves Velhas

Caves Velhas – Companhia Portuguesa de Vinhos de Marca, Lda.

Rua Professor Egas Moniz

2670-653 Bucelas

Tel.: 219 687 330

Fax: 219 680 905

Correio eletrónico: geral@cavesvelhas.pt

 

Enoteca Caves Velhas

Rua D. Afonso Henriques, 1

2670-653 Bucelas

Tel.: 219 681 451

Correio eletrónico: enoteca.env@enoport.pt

 

Acesso ao sítio das Caves Velhas

Chão do Prado

António João Paneiro Pinto, bisneto de António Joaquim Pinto Júnior e João Camilo Alves – ambos produtores de vinhos de Bucelas no século XIX – iniciou a sua própria produção em 1993, após ter recebido em herança a pequena quinta do Chão do Prado. Nos oito hectares de que dispõe atualmente, produz, a partir de castas arinto, esgana-cão e rabo de orelha, vinho branco e espumante seco com denominação de origem controlada e comercializado com a marca Chão do Prado. Desde 2004, a quinta dispõe de restaurante com capacidade para 60 pessoas e garrafeira.

Foto Chão do Prado

António Paneiro Pinto

Chão do Prado

Estrada de Santiago

2670-678 Bucelas

Tel.: 219 681 189 - 962 600 955

Correio eletrónico: chprado2001@hotmail.com

Acesso ao sítio do Chão do Prado

Quinta do Avelar

Sociedade Agropecuária da Quinta do Avelar

Quinta do Avelar, Freixial

2670-676 Bucelas

Tel.: 219 694 119 - 219 941 174

Fax: 219 694 119

Correio eletrónico: mjviegas@ecotegroup.pt

Foto Quinta do Avelar

Carlos Canário – Casal de Além

Carlos Canário

Casal de Além

Tel.: 912 181 812

Correio eletrónico: canario-carlos@clix.pt

Voltar ao topo